Whatsapp (11) 3672-3508
Cultor de Livros
Ensaio sobre o desenvolvimento da doutrina cristã

Ensaio sobre o desenvolvimento da doutrina cristã

R$ 60,00
Quantidade

Produto Indisponível

Avise-me quando chegar

Consulte frete e prazo de entrega

Não sabe o CEP?

descrição

O Cardeal John Henry Newman (1801-1890), canonizado em 2019, foi um dos fundadores do Movimento de Oxford, que pretendia reformar a Igreja da Inglaterra (Anglicana) e comprovar ser ela uma descendente direta do cristianismo primitivo. Suas profundas pesquisas sobre a Igreja desses primeiros séculos o perturbaram profundamente, porque lhe revelaram o quanto a Igreja anglicana se tinha afastado, em sua essência e princípios, daquele cristianismo primitivo, e o quanto, por outro lado, a Igreja Católica Romana permanecera sempre fiel a ele – ao contrário do que pensavam os anglicanos e outros protestantes.

Sua incansável busca pela Verdade culminou neste Ensaio, escrito logo antes de sua conversão ao catolicismo, no qual ele retrata o caminho percorrido em direção à Verdade católica. Neste trabalho, Newman começa por mostrar que o desenvolvimento é algo normal, lógico e mesmo inevitável no curso das ideias, e que as próprias igrejas reformadas são também desenvolvimentos. Em seguida, passa a explicar, por meio do testemunho da História, como distinguir entre os legítimos desenvolvimentos da Revelação e as suas corrupções ou falsos desenvolvimentos. Ele examina alguns dos principais pontos da doutrina para explicar que, muitas vezes, aquilo que poderia à primeira vista parecer um “acréscimo” tardio que desvirtua a fé primitiva, na verdade é apenas um legítimo desenvolvimento, ou uma compreensão mais profunda e uma manifestação mais explícita daquilo que já era professado implicitamente nos primeiros tempos. E que, ao contrário, uma recusa obstinada a qualquer mudança pode ser, na verdade, uma traição à fé.

Esta é uma obra fascinante, produzida por uma das mentes mais brilhantes do século XIX.

ficha técnica

ISBN: 978-65-86580-07-5
Páginas: 512
Formato: 14 x 21 cm
Peso: 0,60 kg
Acabamento: Brochura
Idioma: Português

aspas

lubac
"Todos sabem como a concepção de Newman sobre a ideia do desenvolvimento marcou o seu caminho rumo ao catolicismo. Contudo não se trata apenas de um desenvolvimento coerente de ideias. No conceito de desenvolvimento está em jogo a própria vida pessoal de Newman. Parece-me que isto se torna evidente na sua conhecida afirmação, contida no famoso ensaio sobre O desenvolvimento da doutrina cristã: "aqui, na terra, viver é mudar, e a perfeição é o resultado de muitas transformações". Newman foi ao longo de toda a sua vida uma pessoa que se converteu, que se transformou, e desta forma permaneceu sempre ele mesmo, e tornou-se sempre mais ele mesmo.". Joseph Ratzinger, discurso proferido no centenário da morte de John Henry Newman.
"Newman ensina-nos que se acolhermos a verdade de Cristo e comprometermos a nossa vida por Ele, não pode haver separação entre aquilo em que cremos e o modo como vivemos a nossa existência. Cada nosso pensamento, palavra e ação devem visar a glória de Deus e a difusão do seu Reino.". Joseph Ratzinger, 2010.
 
 
lubac
"Já tudo o chamava para Roma. Mas a Igreja romana do século XIX seria verdadeiramente a dos Padres antigos, a de Santo Agostinho, a de Santo Ambrósio? O primado do Papa, as indulgências, a devoção à Virgem Maria, o culto dos santos... não era certo que tudo isso fora acrescentado? O seu gênio - ou o Espírito Santo - ditou-lhe a resposta. A Igreja não é um monumento erguido uma vez por todas, um bloco imutável e como que fossilizado de fórmulas ao qual seja proibido acrescentar uma só vírgula. É uma realidade viva e, como tudo quanto vive, evolui. Numa Igreja legítima, que recebeu de Cristo uma autoridade infalível, é normal, é legítimo que o dogma se precise e se desenvolva. Tal foi a tese do livro definitivo que Newman publicou em 1845: Ensaio sobre o desenvolvimento da doutrina cristã, autêntico "discurso do método" do catolicismo moderno, cuja importância ainda hoje não se acabou de descobrir". Daniel-Rops, "A Igreja das Revoluções (I)".
 
lubac
"John Henry Newman não tem seguidores no seu tempo, mas muitíssimos no nosso". G. K. Chesterton, 1913
 
 
lubac
"Ele (Newman), que estava convencido de ser fiel em toda a sua vida, e dedicado com todo o coração à luz da verdade, torna-se hoje farol cada vez mais luminoso para todos os que andam à procura duma orientação precisa e duma direção segura em meio das incertezas do mundo moderno — mundo que ele mesmo profeticamente previra.". Papa Paulo VI, 1975.